LEIA TAMBÉM:
  • Font size:
  • Decrease
  • Reset
  • Increase

Priscilla, Rainha do Deserto – O Musical

É impressionante a velocidade com que os musicais da Broadway têm chegado ao Brasil. Mal estreou em Nova York, há um ano, depois de ampla aprovação popular na Austrália e em Londres, já ganhou versão brasileira, com tradução e adaptação de Flávio Marinho.

 

O êxito da trama popularizou a figura das drag queens, com seus excessos e performances. A peça alicerça sua narrativa a partir do deslocamento de três personagens por um vasto deserto australiano, a bordo de um estiloso ônibus batizado carinhosamente de Priscilla, que ganha vida no palco.

As drag queens Mitzi (Luciano Andrey) e Felícia (André Torquato) e a transexual Bernadette (Ruben Gabira), ex-integrante de um famoso espetáculo de transformismo, experimentam uma transformação pessoal à medida que a viagem avança. O rito de passagem começa na litorânea cidade de Sydney e se estende até a interiorana Alice Springs, onde o trio pretende cumprir temporada de shows em um hotel-cassino, contratado pela ex-mulher de um deles.

À parte a opção pelo entretenimento descompromissado, o texto de Stephan Elliott e Alan Scott toca o dedo na ferida do preconceito e celebra a liberação. O espírito de aventura, com suas imprevisibilidades, predomina o tempo todo. Durante a jornada o ônibus quebra, há brigas internas, acontecem ensaios no meio do nada, a trupe é rejeitada em um vilarejo machista, um mecânico se engaja ao grupo. 

O público acompanha um mosaico da diversidade, da identidade nacional e das relações étnicas. Por exemplo: Mitzi teve um filho do antigo casamento e a viagem adquire o significado de encontro entre esta criança e o pai gay e drag queen.

O diretor geral Simon Phillips conduz com segurança este espetáculo colorido e cheio de brilhos e paetês, cuidando para que o ritmo não seja atropelado pelo enredo movimentado. Contribui para o bom andamento da montagem o envolvente repertório musical, pontuado por hits disco e pop como It's raining men, I will survive e Always on my mind, canções que marcaram época e embalaram várias gerações.

O diretor musical Stephen Spud Murphy, também responsável pelos arranjos, contou na versão brasileira com a participação de Miguel Briamonte na direção musical, que pilotou a orquestra de oito músicos. A inspirada coreografia de Ross Coleman e Andrew Hallsworth ganhou nesta montagem a competência de Tânia Nardini, na dupla função de coreógrafa associada e diretora residente.

Vale ressaltar que a música, aqui, funciona além da mera trilha sonora para o espectador. Não só ela é essencial para desenrolar a narrativa, porque serve de base para a performance dos protagonistas, como teatraliza e potencializa uma viagem só aparentemente trivial.
  
Percebe-se um meticuloso cuidado na concepção do espetáculo, do impactante ônibus-personagem de oito toneladas que demandou uma semana para ser montado aos quinhentos figurinos deslumbrantes desenhados por Tim Chappel e Lizzy Gardiner, ambos responsáveis também pelo mesmo setor no filme homônimo (1994).

O elenco reunido reproduziu igual preocupação com a qualidade. O veterano Ruben Gabira encontrou o ponto certo na caracterização do rabugento transexual Bernadette, fugindo da pura caricatura. Depois de boa passagem pela comédia Mambo Italiano, Luciano Andrey transmite muito vigor e garra ao encarnar Mitzi, personagem em constante conflito com seu passado.

O jovem André Torquato, 18 anos, visto recentemente em Gypsy e As Bruxas de Eastwick, está irrepreensível no difícil papel de Felícia – a cena em que interpreta Sempre Libera, no alto do ônibus, é um dos pontos altos da encenação. Saulo Vasconcelos, recém-saído de Mamma Mia!, brilha como o mecânico Bob, o bonachão insatisfeito no casamento que decide incorporar-se à viagem.

As divas, que aparecem juntas descendo por cabos de aço ou despontando por trás do ônibus, são feitas com muita graça e talento por Priscila Borges, Simone Gutierrez e Lívia Graciano. Andrezza Massei, que também brilhou em Mamma Mia!, usa toda sua veia cômica para compor a hilária Shirley. Lissah Martins, um dos destaques de Miss Saigon, aproveita bem o pequeno papel, fazendo de Cynthia, mulher do mecânico, uma figura cheia de maneirismos – a cena das bolinhas de pingue-pongue, em um estereotipado número musical, é impagável.

A montagem oferece várias sequências memoráveis. Uma das cenas mostra o trio, acolhido por uma comunidade aborígene, se esforçando para interagir com o inusitado grupo. Em outra, elas aparecem montadas em um bar frequentado por machões de uma pequena cidade, desafiando-os com seu modo de ser.

O que esta comédia musical pode suscitar no espectador, além do entretenimento, é uma reflexão irreverente sobre diferenças culturais e de gênero. Nada controverso, o que poderia afastar espectadores menos afeitos a esse tipo de discussão. Mas o suficiente para permitir que seja desfrutado por plateias de variados perfis. 

(Vinicio Angelici, da revista Stravaganza, O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , www.revistastravaganza.com.br)
(Foto: André Fedrizzi)
 
Avaliação: ótimo.

Priscilla, Rainha do Deserto – O Musical

Texto: Stephan Elliott e Allan Scott
Direção: Simon Phillips
Elenco: Luciano Andrey, André Torquato, Ruben Gabira, Saulo Vasconcelos e outros
Estreou: 17/03/2012
Teatro Bradesco (Shopping Bourbon – Rua Turiassu, 2.100, Perdizes, São Paulo. Fone: 3670-4100). Quinta e sexta, 21h; sábado, 17h e 21h; domingo, 16h e 20h. Ingresso: R$ 40 a R$ 250. Até 29 de julho.

Veja cenas do espetáculo:  http://www.youtube.com/watch?v=ByjiLAgm4dI&feature=related

Comente este texto pelas redes sociais abaixo ou escreva para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Personalizar HTML 2

Este espaço é destinado a um pequeno chamado ou anuncio, a edição deste anuncio é encontrado no Gerenciamento de Módulo, pode ser colocado aqui um link para uma pagina Interna ou Externa.

Personalizar HTML 3

Este espaço é destinado a um pequeno chamado ou anuncio, a edição deste anuncio é encontrado no Gerenciamento de Módulo, pode ser colocado aqui um link para uma pagina Interna ou Externa.

Contato

Entre em contato com nossa redação. Sugira, comente, reclame. Envie temas que você considera úteis no dia a dia de um universitário. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Style Setting

Fonts

Layouts

Direction

Template Widths

px  %

px  %